sábado

Preconceito, sim ou não? Surda no Soletrando

Compartilhe essa notícia! | Data : sábado, outubro 29, 2011 | Series :


Sonho que se sonha só, é só um sonho... Sonho que se sonha junto, é REALIDADE!"

Fiquei muito emocionado com a participação de Nicole (aluna Surda) no Soletrando do programa do caldeirão do Hulk, descrita pela professora Fausta Lima, mas vi a mais uma vez a realidade do Brasil, que pouco se respeita a Língua de Sinais, ela assim como a maioria dos surdos sempre passa pelo constrangimento, no qual passou sua professora. Eu também me emocionei com a nota que a profª Fausta Lima postou em seu facebook, veja:


Olá pessoal,

Hoje pela manhã foi a eliminatória do quadro do Soletrando no Ceará, quando inscrevi a escola no Soletrando, tinha plena consciência de que isto era algo absolutamente novo e imaginava que alguns impecilhos poderiam acontecer pelo caminho, portanto tentei entrar em contato com a produção do programa por e-mail e por mensagens no facebook que nunca foram respondidas.

Há um mês atrás, foi divulgado o nome da pessoa responsável no Ceará (da TV Verdes Mares), imediatamente liguei avisando de que se tratava da participação de uma aluna surda e que precisaríamos conversar com a produção do programa para fazer algumas adaptações, a primeira condição da equipe do Caldeirão foi que a aluna só poderia participar se fizesse a leitura labial e eu reivindiquei dizendo que a Libras era a língua oficial dos surdos e que isto tinha que ser respeitado, eles ficaram de me dar um retorno posteriormente.

Liguei várias vezes para o jornalista da TV Verdes Mares, que sempre me dizia que eles ainda não tinham nenhum posicionamento, mas que a pessoa da produção do Caldeirão iria ligar diretamente para mim, no entanto ele estava achando que talvez não fosse dar certo. Como não recebi nenhuma ligação do Rio de Janeiro, hoje pela manhã fomos para a Unifor, chegando lá, o jornalista ficou perplexo porque imaginava que a produção do Caldeirão já havia me avisado que a Nicole não poderia participar do programa, ele então ligou para o Rio de Janeiro, e a pessoa responsável me disse que ela não poderia participar do quadro porque não poderia haver a intervenção do intérprete, sem contar que para algumas palavras do português não iria haver tradução para a Libras, que não poderia alterar as regras para favorecer uma pessoa, que as pessoas da banca não sabiam datilologia... Fiquei muito contrariada, afirmei que aquilo era preconceito, que iria denunciar no Ministério Público e na Imprensa, que os intérpretes têm um código de ética e de forma alguma ele iria dar a resposta para a aluna... a produtora me disse que iria consultar o setor jurídico e que depois retornava a ligação... Trinta minutos depois, ela ligou avisando que Nicole poderia participar, com a intermediação do intérprete, mas que sua resposta deveria ser escrita e não em datilologia, aceitamos a condição e Nicole entrou no auditório com o Saulo (intérprete).

Estavam presente em torno de 35 participantes, a maioria proveniente do interior do estado, no auditório somente os participantes podiam entrar, com excessão da Nicole que entrou com o intérprete, os acompanhantes ficavam aguardando do lado de fora. Mais ou menos uma hora depois que os alunos entraram, começaram a sair os primeiros eliminados, alguns tristes, outros chorando... A palavra sorteada para a Nicole foi SERINGA, o intérprete fez o sinal, e ela escreveu INJEÇÃO, a banca achou coerente porque na ficha a palavra sinônima de seringa era injeção, no entanto ao consultar a produção no Rio, eles não aceitaram e Nicole foi eliminada na primeira palavra (esclareço que muitos outros alunos também foram eliminados na primeira palavra!).

Encaro a participação da Nicole, como forma de romper as barreiras do preconceito, mostrar que o Surdo pode sim participar de tudo, que é inteligente, capaz, e que o bilinguísmo é eficaz no processo de ensino-aprendizagem dos surdos, foram três meses de estudo em que ela aprendeu muito das suas duas línguas. No próximo ano, faremos de novo a inscrição, e incentivaremos todos os alunos a se esforçarem ainda mais para participarem. Recebemos muitas mensagens de todo o território nacional de apoio, incentivo, admiração e de interesse em participar também, acredito que a inscrição do ICES abriu portas para que outras escolas também inscrevam seus alunos surdos, assim como a produção da TV se adeque aos princípios da acessibilidade e do respeito à diversidade.

Detalhe: Quando saiu do auditório, Nicole foi entrevistada pela TV Verdes Mares e quando questionada sobre qual profissão pretende exercer, ela respondeu que quer ser MÉDICA, fiquei emocionada com a sua resposta... "Sonho que se sonha só, é só um sonho... Sonho que se sonha junto, é REALIDADE!" Então, vamos nos unir para tornar os sonhos de nossos alunos realidade!!!!

Juliana
-- 

Estou nessa Luta, de respeito ao surdo e a língua de sinais. Parabéns Nicole (facebook)

google+

linkedin

9 comentários

Tulis comentários
avatar
PodoBSB
Admin
29 de outubro de 2011 23:06

Como podemos viver num país tão cheio de preconceitos....estamos e vamos continuar lutando pela igualdade de todos,principalmente da inclusão de nossos amados surdos...Fiquei agora também super constrangido por parte de todos os envolvidos,como uma emissora tão conhecida permite esse tipo de coisa(preconceito),não podemos aceitar essa ignorancia...

Reply
avatar
Yuri Barreto
Admin
30 de outubro de 2011 01:50

Preconceito não. Não é questão de preconceito e sim de falta de estrutura e de entendimento da especificidade da pessoa surda.

Um jogo de "soletração" adimite que ao se ouvir uma palavra que esta palavra seja reproduzida, letra-a-letra, de forma escrita. Ou estou enganado?

Acho que foi uma irresponsabilidade de quem colocou a menina nessa situação.

Respeito os surdos, e tudo o que demandam. Mas quem "procura" acaba "achando".

Eu espero muito que a Nicole seja médica. Mas espero que pensem com muito carinhoa ntes de expor um surdo a uma situação tão ridícula quanto essa.

Desculpem-me, mas é o que eu penso.

Reply
avatar
Lucia Gneiting (No facebook)
Admin
30 de outubro de 2011 01:59

Nossa... realmente que fato lamentável. Um programa com tantos recursos e pessoas que deveriam saber lidar com a diversidade cometendo tantos erros absurdos. Fiquei sinceramente sentida pelo que aconteceu a ela. Caberia um processo? Acredito que fatos como esses não devem ser esquecidos e precisam ser divulgados. Paulo Henrique Soares, agradeço por vc compartinhar tantas informações interessantes no seu blog. Fiquei aqui de Sampa torcendo pela Nicole e realmente estou muito decepcionada com a produção do programa. Infelizmente quem não é da área ou tem não parentes próximos não pode imaginar o quanto é difícil para uma pessoa surda poder se apropriar da língua portuguesa e ainda mais se preparar para um concurso desse porte. Lamentável. Espero que algo aconteça para que o programa se adeque e não ocorra mais esses fatos.

Reply
avatar
30 de outubro de 2011 11:50

Preconceito sim! Não pela TV e sim pela escola que não se preparou as variedades do oferecimento de OUTROS significados para ela aprender em vez de saber um significado: injeção. Esse é o problema da educação, com a concepção da limitação que tem nas pessoas Surdas.
Este preconceito linguístico tem que acabar em qualquer setor!
Abraços sinalizados

Reply
avatar
Fausta Lima
Admin
30 de outubro de 2011 18:49

Pessoal tudo na nessa vida depende de como se vê! Aconselho a vcs lerem novamente o que a diretora Juliana escreveu ok? A Nicole participou por espôntanea vontade, ninguém a obrigou e como foi explicado em cima apesar da diretora ter entrado em contato com o programa eles não deram a atenção necessária e não queriam respeitar a LEI da LIBRAS queriam que ela falasse (PRECONCEITO LINGUÍSTICO SIM). Vejo a participação da Nicole de forma positiva pois foi a primeira vez que uma surda teve acesso (se negassem sim o programa seria processado). Então vamos pensar de forma positiva ela foi sabendo que não ia ser fácil competir com ouvintes (muitos ouvintes foram reprovados na primeira palavra). Acessibilidade é isso um direito de todos! Abraços!

FAUSTA LIMA

Reply
avatar
Fausta Lima
Admin
30 de outubro de 2011 19:24

INCLUSÃO SOCIAL NÃO É O SURDO SE ADAPTAR A SOCIEDADE (ORALIZAÇÃO E LEITURA LABIAL)E SIM O CONTRÁRIO! A SOCIEDADE QUE DEVE SE ADAPTAR AO SURDO RESPEITANDO SUA LÍNGUA E CULTURA. AFINAL A LEI DA LIBRAS GARANTE A LIBRAS COMO PRIMEIRA LÍNGUA L1 E A LÍNGUA PORTUGUESA ESCRITA COMO SEGUNDA LÍNGUA L2. A NICOLE ABRIU AS PORTAS PARA QUE OUTRAS PESSOAS INDEPENDENTES DE TER ALGUM TIPO DE COMPROMETIMENTO POSSA PARTICIPAR AFINAL TODOS TEMOS DIREITO!

FAUSTA LIMA

Reply
avatar
Ana Regina Campello (NO Facebook)
Admin
30 de outubro de 2011 22:33

sim preconceito porque a escola não deu o suporte para oferecer outros significados em vez de uma única palavra injeção....

Reply
avatar
Raiana Paiva
Admin
31 de outubro de 2011 11:37

Raiana Maria Rodrigues Paiva - Reriutaba - CE
' Eu participei das seletivas
fiquei muito comovida com a situação da Nicole
Achei uma grande injustiça !!!

Reply
avatar
Raiana Paiva
Admin
31 de outubro de 2011 12:16

' Fiquei muito comovida com a Nicole
Eu participei das seletivas e vi o quanto foi difícil para ela
Achei uma grande injustiça com a Nicole

Reply